A misticidade dos quatro elementos

Assim como grandes mistérios sobre o universo e sobre a vida, os quatro elementos foram, por um bom período de tempo, foco de indagações e estudos de diversos pensadores pelo decorrer da história. O porquê desse interesse parece evidente: os elementos da natureza despertam um fascínio inato: como eles surgem? Como se mutam? Como exercem sua função na natureza? E qual a relação deles com o ser humano? Estas são perguntas a muito tempo feitas pelos maiores filósofos, místicos e religiosos.

 

Um exemplo é o de Empédocles, o filósofo pré-socrático viveu no século V A.C., ele passou boa parte da sua vida estudando os elementos e a relação que eles estabeleciam entre si e com o universo. De acordo com ele, todo o Universo se compunha de uma relação entre os quatro elementos: ar, água, terra e fogo, e essa teoria influenciou diversos pensadores posteriores a ele, como Aristóteles e Tomás de Aquino. 

 

Mesmo que a química moderna comprove que a teoria de Empédocles não estava certa, ainda sim, ela tinha uma ótima construção lógica e pode até mesmo ser relacionada com o princípio esotérico que diz: “tudo que está embaixo possui correspondência com o que está em cima”. Além disso, é possível estabelecer algumas analogias simbólicas entre os quatro elementos da natureza e as quatro divindades religiosas: o Pai, o Filho, o Espírito Santo e os milagres de Nossa Senhora. 

O AR

A primeira relação que se estabelece é entre o Ar e o Universo Pai, causador do ambiente cósmico inicial, que deu origem a tudo que existe após a explosão do Big Bang e o processo cíclico e caótico que resultou no surgimento do Universo como nós o entendemos hoje. O ar é o elemento primordial da origem porque ele movimenta o indutor primitivo que gera os planetas, as galáxias e as estrelas.

 

A TERRA

Para Empédocles, o segundo elemento primordial era a Terra, que na analogia representa o mundo do Filho, que na perspectiva teológica, desceu dos céus para encarnar como ser humano (palavra que vem de humus, que significa terra em latim) para salvar as pessoas de seus pecados, mas acabou encontrando um sofrimento igual ao dos humanos. 

 

O FOGO

O Espírito Santo se liga diretamente com o terceiro elemento, o Fogo. Tal conexão acontece porque, na perspectiva religiosa, o Espírito Santo acende a luz divina da salvação e a possibilidade individual da redenção. O fogo é a força de superação de todos os problemas, males e sofrimentos, é o espelho de nossa consciência, nossa esperança e a certeza de estar seguindo pelo caminho certo, assim como o Espírito Santo.

 

A ÁGUA

Seria impossível viver sem o quarto elemento, a Água, é ela que fertiliza a terra e é considerada o princípio da vida, só pode existir vida se existir água. Sua analogia é direcionada para Nossa Senhora, pelo milagre de gerar a vida que liga o mundano e o divino e para os diversos milagres que são testemunhados por seus fiéis, como o próprio ato de encontrar a estátua de Nossa Senhora Aparecida da água. Além da vida, a água também é relacionada com o ato de Revelação, assim como Nossa Senhora que se revela como sendo santa, a água tem uma função poderosa de demonstrar a verdade. 

 

Como você pode ver, os elementos da natureza possuem suas forças e se relacionam com a construção do nosso mundo e de crenças. Não dá para negar que eles nos fascinam e emanam fortes energias. E não estamos falando apenas dos quatro elementos! Você já conhece ou experimentou sentir a energia dos cristais, por exemplo? No nosso site, oferecemos lindas joias que energizam e trazem significado. Conecte-se com a natureza sentindo ela pertinho de você!