Meditar é sem dúvidas uma das práticas mais simples e benéficas que qualquer pessoa pode fazer. A meditação consiste basicamente em ficar alguns minutos do seu dia sem nenhuma distração ou estímulo externo, concentrado em algo fixamente, sem interrupções (de preferência). 

A meditação

O ato de meditar vem sido estudado pelo ciência e medicina ocidental – principalmente por neurocientistas – há alguns anos. Já as culturas orientais possuem experiência de milhares de anos com esta prática, sendo que os primeiro indicativos da meditação surgem há cerca de 5 mil anos antes de Cristo, nos Vedas (escrituras sagradas) hinduístas.

Ainda sim, é muito interessante ver o que os estudos científicos revelaram sobre essa prática. De acordo com as pesquisas, a meditação pode ser enquadrada em um modelo de tratamento complementar para a ansiedade, depressão e para dores crônicas.

Já quando falamos da parte espiritual, a meditação é uma das formas de chegar ao nosso eu superior (a iluminação) e se livrar completamente do sofrimento (Samsara), atingindo o Nirvana.

Lembrando que quando falamos em Nirvana e Samsara não nos referimos a lugares específicos, como o céu e o inferno da cultura cristã, mas sim a estados de espírito e mente, ou seja, quando atingimos o Nirvana.

Não significa que o que nos causa sofrimento some, mas sim, representa um estado espiritual e mental tão elevado que as coisas que nos causam sofrimento não nos atingem mais da mesma forma, ou seja, o objeto da aflição não muda, mas sim nossa mente e espírito e como vemos ele.

É interessante quando colocamos os estudos da cultura ocidental e a filosofia oriental lado a lado e vemos como ambos conversam e se complementam.

E são por estes motivos e muitos outros que consideramos a meditação uma prática tão importante e que deve ser pelo menos “provada” por todo mundo!

Se você está aqui, é porque provavelmente quer começar a meditar, mas não sabe bem como. No começo, pode ser difícil mesmo, mas você vai pegando o jeito.

É só seguir os seguintes passos.

1. Reserve um tempo

É muito importante que você reserve um pequeno tempo do seu dia para a prática da meditação, você pode começar com períodos curtos, como 5 ou 10 minutos e ir aumentando o tempo gradativamente, conforme avançar na técnica.

O período mais recomendado para a meditação é durante o nascer ou o pôr do Sol, isso porque nestes períodos o fluxo de energia é maior, contudo, você também pode praticar depois de acordar ou antes de dormir, para dar concentração e calma para o dia ou para te ajudar a dormir melhor.

2. Escolha um lugar calmo

A meditação consiste em escolher um objeto ou ação para se concentrar (abordaremos isso mais a fundo em um próximo tópico), então, é importante que você consiga encontrar um lugar calmo e sem intrusões, como sons, imagens, cheiros ou qualquer outra coisa que possa te distrair.

Sabemos que essa não é a coisa mais fácil do mundo, dependendo da situação de cada pessoa, contudo, é importante tentar se resguardar de possíveis intrusões durante a sua prática, isso te estressará menos e tornará a meditação mais fácil, agradável e relaxante.

3. Fique em uma postura confortável

Estamos acostumados a ver imagens de pessoas meditando na posição de lótus, ou seja, com as pernas cruzadas e com os pés em cima delas, contudo, essa não é a única forma possível de meditar, existem diversas outras, sendo que é possível meditar em uma posição de semi lótus (ou seja, apenas com um pé em cima de uma das pernas), na posição birmanesa (com ambos os pés em contato com o chão, com uma perna em frente a outra), em uma cadeira ou até mesmo deitado, de barriga para cima. 

Todas as posições são eficientes e atingem o mesmo propósito, portanto é interessante ir tentando encontrar a que você se sente melhor.

Além disso, é importante que quando você for meditar, se alongue primeiro, isso evita dores musculares e possíveis lesões.

4. Controle sua respiração

A respiração é uma possibilidade de foco de atenção durante a meditação, mas, mesmo que não seja o seu foco, é importante que você saiba como respirar durante a prática.

O fundamental neste ponto, é que você inspire e expire pelo nariz, levemente, sem grandes esforços, expirando por períodos maiores do que inspirando e relaxando conforme se faz cada expiração.

5. Concentre sua atenção em algo

Como dito no ponto anterior, a respiração pode ser um dos possíveis pontos de atenção durante a meditação, contudo, existem outras possibilidades, vamos listar algumas que facilitem o início da sua meditação:

  1. Respiração: este é o ponto de foco mais comum durante a meditação, para fazê-lo, você pode se concentrar em dois possíveis pontos, em seu abdômen e no movimento que ele faz enquanto inspira e expira (lembrando que o ideal é fazer uma respiração abdominal, na qual você sinta que sua barriga está sendo “preenchida” pelo ar) ou no seu nariz e na sensação que o ar proporciona enquanto passa por ele.
  2. Música e Mantra: esta é uma boa forma de se concentrar usando o áudio. Escolha músicas leves, relaxantes, ou mantras com bons dizerem, como o “Om mani padme hum”, que é o mantra da compaixão, uma mensagem preciosa e com uma energia amorosa e apaziguadora.
  3. Vela: a vela é um bom foco visual para se concentrar, sua chama prende a atenção e faz nos lembrar de sempre voltar ao agora. Ideal para pessoas mais visuais.
  4. Meditação guiada: na internet existem diversos vídeos e áudios de meditação guiada, eles são ótimos para começar, sendo que com eles, você consegue aprender muito bem sobre a técnica e também é relembrado recorrentemente da meditação, sendo ideal para aqueles dias em que você está avoado.

6. Não alimente as distrações

Meditação na língua pali significa “cultivar” ou “lembra”, isso se aplica muito bem para a forma como devemos agir quando nos distraímos durante a prática, a ideia é sempre que se lembre de voltar ao agora e cultive uma atenção cada vez maior no seu ponto de foco. 

Portanto, não existe nenhum problema em ser levado por pensamentos ou resmungar mentalmente após escutar um barulho, o importante é que você se lembre de voltar ao agora e não alimentar as distrações, ou seja, não deixe que aquele pensamento te leve para lugares distantes ou que aquele barulhinho te tire do sério, o importante é deixar o pensamento ou o sentimento passar, sem julgá-lo, e voltar ao seu ponto de concentração.

Os benefícios

A meditação é uma prática incrível que trará diversos benefícios para sua saúde física e para sua saúde mental, te tornará uma pessoa mais paciente, compreensiva, empática e feliz.

Portanto, incentivamos fortemente que você tente realizar essa prática tão benéfica e positiva (para você e para todos os que estão a sua volta). E se você estiver tendo dificuldade, existem formas de melhorar sua concentração, como acender um incenso para energizar o ambiente ou utilizar cristais que ajudam na concentração, como a amazonita por exemplo. 

Esperamos sinceramente que este texto possa te ajudar a dar o primeiro passo com essa prática e desejamos a você bem-estar, prosperidade e a felicidade verdadeira!

Namastê.